https://museudeartesacrauberlandia.com.br/index.php/relicario/issue/feed Revista Relicário 2024-05-24T23:59:28-03:00 Vani Terezinha de Rezende vanizen@gmail.com Open Journal Systems <p>A Revista Relicário (ISSN 2358-8276) é um projeto de natureza interdisciplinar do Museu de Arte Sacra da Diocese Uberlândia, cuja missão maior consiste em veicular trabalhos científicos que contribuam para o avanço da pesquisa na área de Ciências da Religião e Teologia e áreas afins aos estudos da religião. RELICÁRIO propõe-se também a divulgar trabalhos documentais, ensaios, opiniões balizadas sobre assuntos de interesse da revista, entrevistas, vídeos e imagens que possam servir de subsídios à pesquisa acadêmica teórica e aplicada nesse campo de estudos.</p> <p>Em especial RELICÁRIO contempla a área de Museologia da Arte Sacra na preservação da memória e de bens culturais encontrados nas práticas exercidas na vida comunitária da Igreja da Diocese de Uberlândia, em consonância com os seus objetivos de ações dialógicas com o meio acadêmico e intercâmbio cultural no âmbito nacional e internacional.</p> https://museudeartesacrauberlandia.com.br/index.php/relicario/article/view/280 ARENQUES FRESCOS OU MEU ÚLTIMO DESEJO 2024-05-24T21:49:36-03:00 Carlos Arthur Ribeiro do Nascimento carlosartnascimento@gmail.com Márcio Fernandes da Cruz fernandesmedievo@yahoo.com.br <p>Para o homem medieval e particularmente para os membros de alguma ordem religiosa, a primeira e mais importante relação do ser humano é certamente com Deus. Não se deveria também esquecer que a expansão ibérica se deu “dilatando a fé e o império”, como diz Camões. Ora, a relação com Deus pode encontrar, sem dúvida, várias formas de realização. No entanto, a mais elevada de todas é a da experiência de Deus, do conhecimento dele como desconhecido, visto que tal experiência não seria de ordem conceitual mas por meio da predileção divina (caridade), que encontra uma indicação privilegiada na experiência do tato e do gosto.</p> <p>É dentro deste quadro que se propõe uma interpretação do conhecido desejo de Tomás de Aquino, em seus últimos dias, de comer arenques frescos. Será indicado o contexto do episódio na vida de Tomás e no ambiente cultural do século XIII.</p> <p><strong>Palavras-chave:</strong> Tomás de Aquino, Conhecimento de Deus, Prazer, Muçulmanos, Último desejo.</p> 2024-05-24T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 https://museudeartesacrauberlandia.com.br/index.php/relicario/article/view/288 Jesus de Nazaré, suas palavras e as nossas de Juan José Hernández 2024-05-24T23:55:01-03:00 Antonio Alves de Melo antomaguim@gmail.com <p>ALONSO, Juan José Hernández, <strong>Jesus de Nazaré, suas palavras e as nossas. O que se pode afirmar sobre sua vida e mensagem</strong>, tradução de 1.d., João Batista Kreuch, Petrópolis: Vozes, 2022</p> 2024-05-24T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 https://museudeartesacrauberlandia.com.br/index.php/relicario/article/view/281 LA EDUCACIÓN EN CLAVE DE LAS MUJERES AFROPERUANAS 2024-05-24T21:59:47-03:00 Angie Edell Campos Lazo angieedell@gmail.com <p>El camino educativo para las mujeres afroperuanas ha sido construido como una utopía, este artículo trae algunos testimonios y reflexiones que presentan las dificultades estructurales y sociales para que mujeres afroperuanas consideren el camino educativo como una posibilidad. Mediante un escrito auto-etnográfico y en diálogo con testimonios de 17 mujeres afroperuanas se construyen reflexiones que presentan el camino educativo como una herramienta emancipadora, colectiva y de resistencia de las mujeres afroperuanas.</p> <p>Palabras clave: Trayectoria Educativa. Mujeres Afroperuanas. Emancipación.</p> 2024-05-24T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 https://museudeartesacrauberlandia.com.br/index.php/relicario/article/view/282 EDUCAÇÃO COMO FERRAMENTA DE TRANSFORMAÇÃO A PARTIR DE BELL HOOKS 2024-05-24T22:05:17-03:00 Ira Vovos iravovos@gmail.com <p>Neste artigo pretendo reflectir e discutir sobre a educação e prácticas pedagógicas inovadoras desde a perspectiva contemporânea de bell hooks. A proposta educativa torna-se um elemento transformador e emancipador social e político tendo como base as conexões entre a teoria e a práctica das acções políticas próprias do movimento afrofeminista. É necessário (re) pensar a educação como uma práctica para a liberdade. Transgredir as fronteiras da educação e dos meios didácticos é um desafio para a educação contemporânea, a tarefa consiste em romper e desconstruir a escola tradicional e as suas prácticas opressoras. Pretende-se de um modo geral, conceitualizar e analisar as diversas concepções de uma educação como um modo de aprender em liberdade. De um modo específico, procura-se explicar e identificar que a educação cria as bases para uma consciência individual e colectiva; comprender que essa mesma educação humanista e inclusiva cria os mecanismos didácticos para uma igualdade entre mulheres e homens. A pedagogia engajada possibilita a criação de um espaço de dialógo e de aprendizagem colectiva e a construcção de uma educação que se baseia em valores éticos e humanos. Esta práctica pedagógica possibilita o desenvolvimento integral e autônomo do sujeito em toda a sua complexidade. A concepção e contribuição educativa de bell hooks traz uma abordagem de pensarmos em educar para gerar uma consciência crítica sobre o processo de aprendizagem que permite a criatividade e o encontro com o conhecimento. Ao mesmo tempo incentiva que mais mulheres possam encontrar a sua própria voz dentro da criação de uma consciência colectiva em relação ao forças opressivas do patriarcado.</p> <p><strong>Palavras-chave: </strong>Educação. Pedagogia. Afrofeminismo. Consciência Social. Filosofia Política.</p> 2024-05-24T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 https://museudeartesacrauberlandia.com.br/index.php/relicario/article/view/283 ENSINO DE FILOSOFIA E DECOLONIALIDADE 2024-05-24T22:10:21-03:00 José Benedito de Almeida Júnior vanizen@gmail.com Carlos Antônio dos Santos vanizen@gmail.com <p>Este artigo tem por objetivo apresentar alguns aspectos de um ensino de Filosofia numa perspectiva decolonial. Em primeiro lugar, apresentamos alguns elementos que demonstram ser a filosofia europeia epistemicida em relação a outras formas de pensamento e como esta postura impactou a concepção de filosofia e de ensino de filosofia no Brasil, colocando-nos sempre numa posição de subalternidade marcada por um eterno atraso. Posteriormente, passamos a analisar o que seria a decolonialidade e como, a partir desta noção, podemos reorientar conteúdos e métodos do ensino de filosofia no Brasil. Em relação aos conteúdos destacamos a importância de se abordar temas como o combate ao machismo, racismo, homofobia, transfobia, democracia e liberdade de expressão. Em relação aos métodos, destacamos a importância de tomar como eixo orientador do conteúdo dos planejamentos, temas de alta relevância para nossa realidade.</p> <p><strong>Palavras-chave</strong>: Ensino de Filosofia. Decolonialidade. Temas de Filosofia.</p> 2024-05-24T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 https://museudeartesacrauberlandia.com.br/index.php/relicario/article/view/284 DECOLONIZANDO METODOLOGIAS 2024-05-24T22:31:24-03:00 Ricardo Valim ricardo.vallim@ifro.edu.br Domingos Perpetuo Alves Soares domingos.soares@ifro.edu.br <p>O presente artigo analisa a implementação e o desenvolvimento do Projeto “Costurando Saberes” no Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia de Rondônia - Campus Porto Velho Calama no ano de 2023, caracterizando-se como propulsor para a iniciação científica, estimulando a formação de novos pesquisadores acadêmicos oriundos do Curso de Engenharia Química, a partir de temas contemporâneos, integrando conhecimentos filosóficos com os temas transversais do currículo. O arcabouço teórico do Projeto apreendidos pelos alunos nas aulas de Filosofia revelaram a importância da formação humanística para o perfil dos futuros engenheiros químicos. Conclui-se que projetos que visem ao estímulo da criatividade e valorização dos saberes da comunidade discente tendem a ser melhor aceitos e compreendidos. Projetos, como este, que partem da realidade de cada discente, são bem sucedidos pois explicitam sentido e permitem ao discente ser protagonista de sua pesquisa e de sua formação profissional. Desta forma, decoloniza-se os saberes reconhecendo as especificidades próprias de cada discente revelando seu potencial e estimulando-o para as vivências do mundo científico sem a perspectiva de impedir-lhe a criatividade e protagonismo.</p> <p><strong>Palavras-chave:</strong> Educação; Protagonismo; Autoria; Autenticidade; Epistemologias.</p> 2024-05-24T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 https://museudeartesacrauberlandia.com.br/index.php/relicario/article/view/285 JÚRI-SIMULADO SOBRE COTAS RACIAIS 2024-05-24T23:18:52-03:00 Mônica Maria Teixeira Amorim monica.amorim@unimontes.br Renan de Souza Nascimento nascimentorenan900@gmail.com Daniel Bergue Pinheiro Conceição danielbergue.pc@gmail.com <p>Neste texto nos propomos a realizar um relato de experiência para socializar nossas vivências com a prática do “Júri Simulado: Cotas raciais na universidade pública brasileira”, de modo a contribuir com reflexões em torno da possibilidade de construção de uma aula universitária pautada em uma educação emancipatória e decolonial. O trabalho contempla a descrição da técnica, seus objetivos, organização e desenvolvimento, além de trazer o diálogo com autoras e autores que a técnica empregada suscitou e que se alinham com o debate tão atual e necessário sobre as cotas raciais.</p> <p><strong>Palavras-chave</strong>: Júri-Simulado. Cotas Raciais. Aula Universitária. Decolonialidade.</p> 2024-05-24T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 https://museudeartesacrauberlandia.com.br/index.php/relicario/article/view/286 A RELIGIÃO TRADICIONAL NA PRESERVAÇÃO DA IDENTIDADE 2024-05-24T23:28:22-03:00 José Sumburane josesumburane@gmail.com <p>A identidade como a existência de elementos uniformes e típicos de um grupo, abre espaço às novas gerações de encontrar elos de ligação com a velha geração quando esta preservar as tradições nela inbuídas através da valorização e cumprimento dos traços culturais da linhagem. Sabe-se que a identidade está inscrita nos valores e práticas existentes nas tradições e serve de guia e garantia de estabilidade entre os membros da comunidade. O ensaio evidencia o contribuição da religião tradicional na preservação da identidade dos Bitonga da comunidade de Jangamo com objectivo de compreender a contribuição desta religião na manutenção dos valores e práticas identitárias. O ensaio resulta do trabalho de campo desenvolvido na comunidade de Jangamo no âmbito da elaboração dissertação de mestrado. Desta recolha foi possível notar que a religião tradicional em Jangamo é praticada a nível do clã, núcleo família e individual. O culto dos antepassados pelas estruturas de poder local, pelos pais biológicos/sociais e individualmente permite integrar as novas gerações com as práticas tradicionais locais, reforçar a memória colectiva do grupo em relação as mesmas e fortalecer o núcleo étnico.</p> <p><strong>Palavras chave:</strong> Religião. Identidade. Antepassado.</p> 2024-05-24T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 https://museudeartesacrauberlandia.com.br/index.php/relicario/article/view/287 20 ANOS DE LEI 10.639/03/2003 2024-05-24T23:48:52-03:00 Ivete Batista da Silva Almeida vanizen@gmail.com <p>A Lei 10.639/03/2003 que institui a inclusão dos conteúdos voltados para o ensino da História das sociedades do continente africano, as culturas afro-brasileiras e a luta dos afrodescendentes pela igualdade de direitos, completou no ano de 2023, vinte anos, todavia, sua implementação nos currículos de escolas de educação básica e também, nas Licenciaturas, ainda é precária. Neste artigo, temos por objetivo propor uma reflexão sobre o lugar dos conteúdos propostos pela Lei 10.639/03/2023, no contexto do Ensino de História, sob a luz das questões apontadas pela perspectiva decolonial, a partir do questionamento sobre qual História da África desejamos ensinar, por quê, para quem, e para quê.</p> <p><strong>Palavras-chave:</strong> Lei 10.639/2003. História da África. Ensino de História. Pensamento Decolonial.</p> 2024-05-24T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 https://museudeartesacrauberlandia.com.br/index.php/relicario/article/view/279 VEMOS DUAS FIGURAS HUMANAS 2024-05-24T21:39:57-03:00 Alice Almada vanizen@gmail.com Raul dos Santos vanizen@gmail.com <p>Em tempos de escassez do inteligível, é quase fantástico quando somos surpreendidos pela presença de um pássaro através de seu canto, ou de seu parabólico risco sob o céu. Nos curiosos movimentos do pássaro, tão cheios de personalidade, o coração por vezes até se acalma ao notar quanto aquilo é, ainda que indizível.</p> 2024-05-24T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 https://museudeartesacrauberlandia.com.br/index.php/relicario/article/view/277 REVISTA RELICÁRIO: INOVAÇÕES CRIATIVAS 2024-05-24T21:29:45-03:00 Vani Terezinha de Rezende vanizen@gmail.com <p>É com grande satisfação que a Revista Relicário, do Museu de Arte Sacra da Diocese de Uberlândia, coloca no ar o seu V. 10 N. 20, com o DOSSIÊ “LEITURAS DECOLONIAIS: Novas práticas nas Humanidades e no Ensino – Parte II”. Como foi explicado na Apresentação da Parte I, em virtude do grande volume de artigos recebidos, a temática foi dividida em duas partes: Parte I e Parte II, sendo esta última, N. 20, a que agora apresentamos aos nossos leitores.</p> 2024-05-24T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 https://museudeartesacrauberlandia.com.br/index.php/relicario/article/view/278 LEITURAS DECOLONIAIS - Parte II 2024-05-24T21:34:11-03:00 Ivete Batista da Silva Almeida vanizen@gmail.com José Benedito de Almeida Júnior vanizen@gmail.com <p>A partir do final do século 20 e início do século 21, emerge sobretudo na América Latina um intenso debate crítico sobre a colonialidade, resultando no que agora é conhecido como pensamento decolonial. Após enfrentar anos de supressão de seus conhecimentos locais e tradicionais, a intelectualidade latino-americana começou a desenvolver um pensamento crítico em relação às influências e legados da colonização em suas várias formas. Esses esforços para desconstruir a colonização e promover uma epistemologia verdadeiramente enraizada na realidade local e na interpretação desta pelos próprios habitantes dos territórios regionais, hoje, perpassa as discussões e a produção de conhecimento em diferentes áreas do saber.</p> 2024-05-24T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024 https://museudeartesacrauberlandia.com.br/index.php/relicario/article/view/276 Expediente v.10 n.20 2024-05-24T19:55:30-03:00 Wisley Aguiar Aguiar wisleyaguiar@hotmail.com 2024-05-24T00:00:00-03:00 Copyright (c) 2024